Falta de cobertura do transporte prejudica moradores de Blumenau

Reportagem: Júlia Bernardes Laurindo e Jamille Cardoso

Blumenau conta com 89 linhas de ônibus, que percorrem parte de algumas das principais vias que cortam os 519.837 quilômetros quadrados dos 35 bairros da cidade. A “malha viária” do transporte público de Blumenau está dividida em 67 linhas alimentadoras, 11 linhas troncais, 3 linhas de interbairros, 4 linhas “saúde” e 4 linhas “alpinas”. As informações são da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Seterb). 

Atualmente, o transporte coletivo municipal possui uma frota com 191 veículos. Faz parte desta frota sete modelos diferentes. Parte deles transita entre sete terminais urbanos: Aterro, Fonte, Fortaleza, Garcia, Proeb, Velha e Itoupava Central. Um oitavo terminal, do bairro Água Verde, que começou a ser construído em 2017, está com as obras paralisadas e ainda precisa ser finalizado. 

Os números de linhas não dimensionam a abrangência do sistema de transporte público da cidade. Segundo quem utiliza os ônibus para ir e vir na cidade, as rotas e horários oferecidos pela Blumob não atendem todos os usuários. Para alguns, os ônibus não passam perto de casa, do trabalho ou do local de estudo. Estas pessoas, mesmo que quisessem, não podem usufruir do sistema. Para outros, faltam opções de horários de deslocamento, o que impede estas pessoas também de usarem o serviço.

Assim, uma parte importante da cidade, difícil de mensurar em números, acaba tendo a rotina prejudicada pela ausência do transporte público. Esse é o caso do frentista Jean Maicon Minatti, morador da Rua da Glória, no bairro Glória, na região Sul de Blumenau.

Jean é um dos usuários do transporte público prejudicados pela redução no horário dos ônibus após o início da pandemia de Covid-19. Ele trabalha até as 23h, todos os dias da semana, mas não tem ônibus para voltar para casa – especialmente aos finais de semana.

“O último ônibus Aterro-Garcia no sábado sai do Terminal do Aterro às 21h. No domingo, sai às 19h. Eu, que trabalho até mais tarde, fico sem ônibus. De tarde, quando você vai para o serviço, tem ônibus normal. Mas à noite, quando você sai da jornada de trabalho, não existe ônibus. Tanto do Aterro para o Garcia, como do Garcia para os bairros”, critica.

O frentista, que chegou a trabalhar como cobrador da empresa Glória e conhece bem o sistema de transporte coletivo, afirma que já registrou reclamações na Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Seterb) e na Ouvidoria da Prefeitura de Blumenau. A resposta obtida é sempre a mesma: não existe demanda para mais horários.

“Aí eu pergunto: e quem trabalha no shopping, no horário das 16h às 22h? Quem trabalha no posto de gasolina que nem eu, até as 23h, de segunda a segunda? Quem trabalha em mercados, que precisa pegar o ônibus depois desse horário para ir para a casa? Eu queria saber por que só tem uma empresa de ônibus, a Blumob, e não tem uma concorrente”, questiona.

Confira nos mapas abaixo as primeiras rotas de todas as linhas em funcionamento na cidade:

Rotas linhas 01-30

Rotas linhas 100

Rotas linhas 300 + 154

Rotas linhas 400

Rotas linhas 423-510

Rotas linhas 511-704

Rotas linhas 705-905

Rotas linhas 903 e 904

Rotas linhas 31-80

Rotas linhas 1153-1385

>> Confira a sequência desta reportagem: “Rotina de longas caminhadas, poucos horários e muito tempo dentro dos ônibus”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s