Cresce o número de artistas independentes no cenário musical de Blumenau

Evolução de estilos passou das bandas típicas alemãs para as duplas sertanejas e, nos últimos anos, ganha diversidade com artistas de reggae, rap e outros estilos

O cenário musical de Blumenau está passando por uma nova fase. Desde os anos 1940, a cidade viveu diferentes fases e viu o crescimento de distintos estilos musicais.

No início, influenciada pela forte cultura alemã presente na cidade, a primeira banda de destaque do município desenvolveu seu repertório no estilo colonial. Há mais de 80 anos, a banda Cruzeiro marca a história da cidade, principalmente durante a Oktoberfest.

Seguindo o mesmo estilo musical da banca Cruzeiro, surgiram outras bandas, como a Stadtkapelle e a Mensagem. Impulsionadas pela Oktoberfest, as bandas alemãs se multiplicaram na cidade. As bandas precursoras serviram de inspiração para outras iniciativas, como as conhecidas Banda XV Show, Banda Canarinho, Adler’s Band, entre outras.

A evolução musical de outros estilos

Com o passar dos anos, a cultura alemã abriu espaço para outros estilos musicais, como o sertanejo. Entre outros exemplos de sucesso surgidos na cidade, destaque para a dupla Téo e Edu, que está entre as duplas de maior sucesso do estilo no Sul do país. Outros nomes fortes do sertanejo e que seguem se destacando na região são: Davi Henrique, Johnny Rodrigues e Debora Amorim.

Pouco a pouco, além das bandas de estilo alemão e do sertanejo, outros estilos começaram a despontar na cidade. Atualmente, o cenário musical de Blumenau é diversificado. Percebe-se, anualmente, um aumento gradativo no número de artistas independentes. Blumenau, com mais de 360 mil habitantes, tem encontrado público para gêneros como o rock, o mega funk, o rap e o reggae.

Artistas da cidade ou que vivem em Blumenau ganharam projeção nacional em 2016, 2019 e 2020 com o programa The Voice Brasil. Nestes anos, respectivamente, as cantoras D’Lara, a blumenauense de coração Litha e a cantora Daphne Eduarda Labes brilharam no programa com estilos próprios e qualidade vocal.

O cenário do reggae na cidade

O Brasil tem grandes expoentes do reggae, como os grupos Chimarruts, Tribo de Jah, Maneva, Natiruts, Maskavo, entre outros. No mesmo estilo, Santa Catarina fortalece o gênero com nomes como Dazaranha e Armandinho. Em Blumenau, uma referência no reggae é a banda NOISE.

Criada em 2014, a banda passou por diversas formações. Desde 2019, o grupo apresenta os mesmos integrantes: Lucas Gonçalves (vocalista), Rick Clemente (baixista), Gabriel Ruediger (guitarrista), Zico Finger (percussionista) e Neto Berri (baterista). A banda NOISE mescla o estilo reggae com o rock e o pop.            

No meio musical, assim como em outras áreas da sociedade, o início de qualquer projeto é sempre o mais desafiador. O vocalista da banda NOISE, Lucas, conta como superou os desafios e manteve a motivação: “A paixão pela música. Acho que o principal é manter-se sempre motivado e acreditar que vai dar certo, independente de apoio, público e qualquer outra coisa. O primeiro passo é você acreditar em si mesmo, na sua banda, no seu projeto”.

Crédito de imagem: Vanessa Beatriz Trapp/Arquivo pessoal/Nosso TAL

Segundo Lucas, apesar de ser uma cidade menor, se comparada à outros municípios que geram maior visibilidade aos novos artistas locais, Blumenau conta com diversos empreendedores que apoiam e valorizam a cultura local.

“Em Blumenau, já fizemos parcerias com algumas marcas de roupas locais, e também alguns serviços. Um exemplo (disso) é que desde 2019 a Barbearia VIP é parceira da banda NOISE, o que prova que não há limites e restrições para parcerias entre bandas/artistas e empreendimentos locais/regionais”, opina o vocalista da banda.

Cenário desafiador para o rap

Gênero musical ainda muito criticado pelos mais conservadores da cidade, o rap feito em Blumenau está surgindo cada vez mais forte. Nos últimos anos, o aumento de artistas atuantes na cidade foi considerável. Alguns destes nomes já fizeram parcerias com outros artistas catarinenses e nacionais. O número de produtores focados neste estilo também cresceu.

O grupo 47Linhas, formado por Bruno Sampaio, Eduardo Kohler e Johann Steffen, é um dos expoentes do rap no município. Criado em 2018, o grupo valoriza a cidade produzindo clipes em diferentes cenários de Blumenau. Sampaio, que antes mesmo de formar o grupo já se interessava pelo rap e se dedicava ao estudo musical, fala sobre a experiência de fazer rap na cidade.

“Comentário maldoso, as críticas, cada pessoa tem a sua forma de lidar. Desde o primeiro som que lançamos, a crítica já existe. Não me abalo facilmente com comentário (negativo), até porque às vezes aparecem comentários construtivos”, comenta.

Crédito da imagem: Intagram 47Linhas/Divulgação/Nosso TAL

O artista, compositor e produtor musical Baldin, que recentemente lançou o álbum Nobreza, também fala sobre o cenário do rap na cidade: “Blumenau, infelizmente, ainda é uma cidade com mais preconceitos enraizados em relação à maior parte do Brasil. Mas acho que não devemos nos afetar por isso, e sim continuar lutando pelo que julgamos como certo e justo”.

Observando o crescimento da cultura musical no município, especialmente nos últimos anos, a expectativa de Sampaio é para que apareçam cada vez mais novos artistas e grupos independentes. “Eu acredito muito que a cena de Blumenau pode crescer. Tem muito potencial, tem muito talento na cidade. Mas muita coisa precisa mudar para isso acontecer. Tanto na mentalidade de quem ouve, quanto na de quem faz”, opina o integrante da 47Linhas.

O incentivo de artistas já inseridos no meio musical na cidade pode fazer a diferença para quem está começando, mas o vocalista da banda NOISE considera como determinante o apoio das pessoas mais próximas de cada artista e banda.

“O maior apoio no início é dos amigos e das pessoas que curtem o som e o trabalho da banda. Também existem marcas, empresas e empreendedores locais que apoiam o trabalho da banda, seja com roupas, serviços, alimentação e até dinheiro. É importante, desde o início, valorizar estas pequenas parcerias que vão surgindo porque são fundamentais para o crescimento do projeto”, explica Lucas.

Além deste apoio citado pelo vocalista da banda NOISE, uma série de casas de shows e pubs blumenauenses proporcionam o momento mais esperado pelos integrantes dos projetos de reggae, rock, pop e rap da cidade: espaços para os artistas mostrarem os seus talentos para o público.  

Repórter: Vanessa Beatriz Trapp.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s