Formador de talentos: Projeto Evoluir completa 21 anos em Jaraguá do Sul

Iniciado no ano 2000 pelo professor Benhur Rosatto e por Luderitz Gonçalves, iniciativa mudou o cenário social e esportivo da cidade

O esporte em Jaraguá do Sul movimenta sonhos e carreiras muito promissoras, tudo isso por conta dos diversos projetos que incentivam os jovens do município. As categorias de base jaraguaenses já revelaram muitas estrelas nas mais diversas modalidades. 

Entre os destaques da cidade está o voleibol, que há décadas revela jogadores para equipes de diversas regiões do Brasil e de outros países.  

Além da competência dos técnicos e atletas que treinam os jovens que representam Jaraguá do Sul em competições oficiais, um dos responsáveis pela revelação de talentos é o Projeto Evoluir, que oferece treinos de voleibol gratuitamente em diversas escolas do município. 

Aniversário de 18 anos do Projeto Evoluir em Jaraguá do Sul. Crédito da imagem: Iriane Porto/Projeto Evoluir/Divulgação/Nosso TAL

Em 2021, o Projeto Evoluir completou 21 anos de atividades. Neste período de tempo, a iniciativa mudou a vida de milhares de alunos da rede pública de Jaraguá do Sul. Em seu auge, o projeto chegou a atender cerca de 1,8 mil crianças em 18 instituições de ensino. 

Como tudo começou

Um dos idealizadores do projeto é o professor e técnico Benhur Rosatto Sperotto, que teve a ideia de desenvolver esta proposta no início dos anos 2000 atendendo a um convite do ex-jogador, técnico e professor Luderitz “Ludi” Gonçalves Filho. 

Professores Luderitz (C) e Benhur (D). Crédito da imagem: Projeto Evoluir/Divulgação/Nosso TAL

Benhur era técnico da equipe masculina da Intelbras/São José quando, ao participar de um fórum sobre esportes no ano 2000, encontrou Ludi. Na ocasião, o professor Luderitz convidou Benhur para comandar os treinos das categorias de base da então Associação Desportiva de Voleibol (ADV)/Fundação Municipal de Esporte (FME). Atualmente, a FME existe com a denominação Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) de Jaraguá do Sul. É a secretaria que patrocina e faz a gestão da ADV.

Na época, comandando a Intelbras/São José, Benhur estava na elite do voleibol brasileiro, tendo conquistado diversos títulos em Santa Catarina. Na época, a equipe liderada por ele tinha quase a hegemonia do esporte no Estado. “Eu estava de saco cheio de trabalhar no alto rendimento. É muito desgastante”, desabafa Benhur. 

Disposto a mudar os rumos da carreira, Benhur aceitou o convite de Ludi e se mudou para Jaraguá do Sul. Por ter mais de 30 anos de carreira como professor de educação física e longos anos como técnico, Benhur notou que os professores da cidade pareciam estar desmotivados. Foi então que ele pensou que a cidade poderia educar os alunos através do esporte. 

Ao chegar na cidade, Benhur percebeu que um projeto pessoal que ele tinha guardado com muito carinho por diversos anos poderia ser desenvolvido no município. Foi assim que surgiu o Projeto Evoluir, que visa revelar talentos no voleibol na mesma medida em que busca moldar pessoas que sejam bom exemplos para a sociedade. 

Em fevereiro do ano 2000, Benhur conversou com o então prefeito e os vereadores de Jaraguá do Sul para apresentar a proposta. Eles gostaram da ideia e, logo em seguida, foram atrás de parceiros para tornar o projeto uma realidade. 

Crédito da imagem: Iriane Porto/Projeto Evoluir/Divulgação/Nosso TAL

A primeira empresa que aceitou patrocinar o Projeto Evoluir e que segue apoiando a iniciativa até hoje como principal parceira foi a Marisol. A empresa cedeu, desde aquele início, todos os uniformes para as crianças e jovens que fossem participar dos polos do projeto. 

Depois desta busca inicial por apoiadores, o Projeto Evoluir foi lançado, oficialmente, em julho de 2000. A cerimônia foi feita no ginásio da Marisol. Naquela ocasião, o projeto já contava com cerca de 800 alunos de 10 escolas do município. 

Amigo de longa data do professor Benhur, o ex-jogador e ex-treinador de voleibol Bebeto de Freitas, que faleceu em 2018 após sofrer uma parada cardíaca, compareceu ao evento. 

Oferecido sempre no contraturno escolar, o projeto é direcionado a alunos que desejam praticar o voleibol. Não existe limite de idade para começar. Basta ter força de vontade e coragem para seguir com os treinos. 

Encontro de polos 

Desde o início, o projeto se mostrava promissor. Para desenvolver o espírito competitivo e esportivo dos alunos, foi organizado um encontro de polos que reunia todos os alunos do projeto Evoluir dentro de um dos ginásios mais modernos e bem estruturados da América Latina: a Arena Jaraguá. 

Palco de amistosos entre as seleções de vôlei do Brasil e da Itália e de centenas de jogos da Malwee Futsal, equipe na qual diversos craques jogaram, como Falcão, Leco, Xoxo e Chiquinho, para as crianças do Projeto Evoluir competir naquele espaço era um verdadeiro espetáculo e uma conquista. 

“Os alunos que participam do projeto podem competir nos campeonatos de integração. Esses campeonatos acontecem na maior arena da cidade. Eles podem jogar com crianças e adolescentes de outras escolas. Para muitos, aquela é uma verdadeira Copa do Mundo do vôlei. (Eles) Dão tudo em quadra e, às vezes, precisamos lembrá-los que é um torneio de integração e não (um torneio) competitivo”. 

Professor Fernando Lazzaris, um dos treinadores do Projeto Evoluir nas escolas
Professor Fernando (E) em campeonato com atletas da equipe do Evoluir. Crédito da imagem: Margarete Luzzani/Julius Karsten Voleibol/Divulgação/Nosso TAL

O encontro de polos é realizado no Dia do Voleibol, que é celebrado no dia 27 de junho – data que marca também o aniversário do Projeto Evoluir. Logo nos seus primeiros anos, pela quantidade de crianças e jovens participantes, o encontro foi dividido em duas categorias: crianças de até 10 anos e maiores de 11 anos. 

O professor Benhur explica que os encontros servem para que todas as crianças possam jogar de forma “competitiva” e integrativa. “Antes de cada encontro de polos nós conversávamos com os professores e deixávamos bem claro que todas as crianças deveriam jogar. Se tem 60 alunos no seu polo, faça 10 equipes, mas todos devem ter a oportunidade de participar”, complementa. 

Formador de talentos 

Além de servir como fomento do voleibol entre crianças e jovens da cidade, os polos também ajudam os treinadores da ADV a encontrarem possíveis talentos que possam compor o elenco competitivo de Jaraguá do Sul. 

Um exemplo de atleta que saiu dos polos e hoje defende o Goiás, que está na elite do voleibol brasileiro, é o ponteiro jaraguaense Raphael Marcarini, de 24 anos, que já foi campeão Sul-Americano Infanto-juvenil. 

Marcarini aos 17 anos e, atualmente, aos 24. Crédito da imagem: Iriane Porto/Projeto Evoluir/Divulgação/Nosso TAL
Confira um pouco mais sobre a trajetória de Raphael Marcarini:

Marcarini iniciou a trajetória no voleibol com o Projeto Evoluir quando era estudante da Escola Gertrudes Milbratz, localizada em um bairro isolado de Jaraguá do Sul. Depois, pelo bom desempenho no projeto, o atleta foi convidado pelo professor Benhur para fazer parte da ADV. 

Marcelo Hister, 30 anos, também saiu dos polos do projeto para desenvolver sua trajetória no esporte. Na época em que iniciou, ele estudava na Escola Max Schubert. Como atleta profissional, Hister passou por clubes da Itália, no Brasil e, hoje, está competindo na Espanha. 

Marcelo Hister em quadra. Crédito da imagem: GRubert/Divulgação/Nosso TAL

Outro jovem que saiu da Max Schubert foi Pedro Marcon Gonçalves, conhecido como Pedrinho, que mede mais de dois metros de altura atualmente. Pedrinho é filho do professor Luderitz e já foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-19. Em 2021, ele joga pelo Flamengo, onde o carioca radicado em Jaraguá do Sul, Luiz Carlos Rodrigues da Silva, conhecido como Kadilac, atua como treinador. 

Atleta do Flamengo, Pedro Marcon (D), ao lado do auxiliar técnico da Seleção, Luiz Carlos “Kadilac” (C), ex-treinador da base do time de Jaraguá do Sul. Créditos da imagem: Rafael Rezende/CRF/Divulgação/Nosso TAL

Alunos que se tornaram professores 

O projeto não revelou só jogadores, mas também treinadores, como é o caso de Kadilac. Ele foi convidado por Benhur para ser um dos treinadores na ADV e nos polos do Projeto Evoluir. 

Kadilac comandou as equipes das categorias infantil, infanto e infanto-juvenil de Jaraguá do Sul. Pela equipe competitiva do município, ele fez história e conquistou dezenas de títulos, colocando Jaraguá do Sul no mais alto nível do vôlei catarinense.  

Além de Kadilac, muitos dos professores que hoje comandam os polos do Projeto Evoluir já foram alunos da iniciativa tempos atrás. Esse é o caso de Fernando Lazzaris. 

“Eu fui atleta, quando mais novo, e decidi fazer Educação Física por causa do esporte. Trabalho no Projeto Evoluir há seis anos. É um projeto exemplar, que busca através do esporte passar valores e também estimula a prática esportiva, que faz bem tanto física como mentalmente”, avalia. 

Continuidade do projeto 

Um projeto que dura mais de 20 anos e envolve milhares de crianças precisa de uma administração séria. Atual coordenador do Evoluir, Benhur comenta que a parceria com a Marisol segue esta linha de gestão profissional. 

“A parceria com a Marisol, desde o início, foi exemplar. Todos os meses presto relatório de gastos, treinos, títulos conquistados e atletas revelados. Tudo isso serviu para ganharmos a confiança da empresa e das diferentes gestões da cidade. Passam os anos e os prefeitos e secretários de Esporte seguem apoiando o projeto”, explica. 

Assim, quando um talento é revelado pelo projeto, além da felicidade do jovem e de seus amigos e familiares, o Evoluir também se beneficia. “Revelar esses talentos é muito bom pro projeto, pois mostra que o Evoluir continua dando certo e cumprindo seu papel. Mas o projeto não se orgulha só dos atletas que foram revelados, mas também das pessoas de bem, alguém que tenha se tornado um bom e dedicado funcionário, por exemplo”, avalia Benhur. 

A disciplina trabalhada pelos professores do projeto contribui para o restante da vida do atleta. Muitas pessoas que são bem-sucedidas na carreira profissional, fora do esporte, quando encontram Benhur, comentam que são extremamente gratas ao que o Projeto Evoluir trouxe para elas. 

“Alguns anos atrás fui trocar de carro e uma das vendedoras da concessionária me reconheceu e agradeceu por ter dado a oportunidade dela treinar voleibol. Outro caso é o atual diretor da Celesc de Joinville, Wagner Vogel, que também passou pelo projeto e hoje ocupa um alto cargo em sua empresa”, exemplifica Benhur. 

Professor Benhur ao lado da secretária de esportes Natália Petry no encontro de polos de 2019. Crédito da imagem: Iriane Porto/Secel/Divulgação/Nosso TAL

“Ajudamos os jovens e a comunidade de Jaraguá do Sul a serem pessoas de sucesso. A gente tem (um) orgulho muito grande de ter tido essa ideia. Agradecemos à Marisol, à Secel e (à) outros patrocinadores por terem acreditado, pois assim a gente pôde implantar um sonho meu, que estava apenas no papel. A cidade me proporcionou de implantar uma coisa que eu queria e que deu certo. É uma vitória muito grande pra minha carreira e pra quem participou até agora”, destaca o criador e atual coordenador do Projeto Evoluir. 

Inspiração para outros projetos

Outros municípios de Santa Catarina já se interessaram em levar o Projeto Evoluir para as suas cidades. Este é o caso de São Bento do Sul, que fez um projeto semelhante nas escolas do município. 

“É um projeto que podia ser feito em todas as modalidades, não só no voleibol”, conclui Benhur. 

Benhur Rosatto Sperotto

Por conta da pandemia de Covid-19, que teve os primeiros casos registrados em Santa Catarina em março de 2020, o projeto em Jaraguá do Sul teve que suspender temporariamente as atividades. Mas o último balanço da iniciativa, feito em 2019, demonstrava que, naquele ano, cerca de 1,5 mil crianças e jovens matriculados em 14 escolas de Jaraguá do Sul participavam do projeto. 

Também por conta da pandemia, os aniversários de 20 e 21 anos do projeto tiveram que ser adiados. Enquanto as celebrações não podem ser feitas, Benhur afirma que aguarda o momento de tudo voltar ao normal para então festejar um projeto tão benéfico para a sociedade de Jaraguá do Sul.

Confira, na edição do Pauta Digital Entrevista abaixo, a trajetória da técnica Karina Patrícia de Souza, que está atuando na ADV/Secel:

 Repórter: Gabriel Gustavo dos Santos Minel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s