Pesquisa aponta que 13º salário vai aportar R$ 9,6 bilhões na economia catarinense

Confira como o recebimento do recurso extra para assalariados poderá impactar no resultado das empresas no final de 2020

Isabella Cremer

O governo federal definiu que todos os trabalhadores, inclusive aqueles com carga horária reduzida em decorrência da pandemia de COVID-19, irão receber o valor integral do 13° salário e das férias no final de 2020. Tais valores, que começarão a circular com o recebimento da primeira parcela do 13° até o último dia de novembro, prometem dinamizar a economia nacional e regional. 

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) projeta que o 13° salário injetará no mercado de Santa Catarina cerca de R$ 9,6 bilhões. O mesmo levantamento estima que este recurso extra para os trabalhadores com carteira assinada chegará a R$ 208 bilhões em nível nacional. Tais dados revelam um decréscimo em relação aos valores de 2019, quando o 13° injetou R$ 216,2 bilhões na economia do país. Além disso, o valor projetado para 2020 representa a maior redução de aporte do 13º na economia brasileira desde que os registros começaram a ser feito dela CNC em 2012. 

De acordo com o relatório, além dos impactos na economia causados pela crise do novo coronavírus, o mercado de trabalho também mudou no ano 2020, ano em que foi registrado o crescimento do trabalho informal no país, o que impacta nos valores pagos em 13°. Isso porque os dados relacionados com o 13º levam em conta apenas os valores pagos a trabalhadores formais do setor privado e públicos, aposentados e pensionistas, assim como trabalhadores domésticos com carteira assinada. 

Já uma estimativa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) aponta que o 13° salário deverá injetar na economia nacional cerca de R$ 215 bilhões, um valor muito próximo ao registrado pela CNC em 2019. A região Sul deve ficar com aproximadamente 16,8% do valor nacional, segundo o Dieese. Caso confirmada essa projeção, o Sul ficaria atrás somente da região Sudeste, que deve ser favorecida com 48,5% do valor estimado para o 13º segundo o Dieese. 

Como serão pagos o 13º e as férias em 2020

Como definido em nota técnica emitida pelo governo fedral, todos os trabalhadores formais do país irão receber o valor integral do 13° em 2020. Isso mesmo para aqueles que, durante o ano, tenham recebido o salário com diminuição proporcional por causa das horas trabalhadas – como foi o caso dos trabalhadores que tiveram o emprego garantido pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

Entretanto, prevê a nota técnica do governo, aqueles trabalhadores com contratos suspensos receberão um 13° equivalente apenas aos meses trabalhados. Já os trabalhadores que atuam há menos de um ano em uma empresa recebem o 13° proporcional aos meses trabalhados.

Segundo determinação do governo, tanto para as situações de suspensão do contrato de trabalho quanto para novas contratações deverá ser considerado como mês trabalhado aquele em que tenha sido cumprido pelo menos 15 dias de atuação do trabalhador. 

Para o recebimento das férias, a carga horária reduzida também deve ser desconsiderada pelos contratantes, e os trabalhadores devem receber o pagamento integral mais o adicional do salário. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: