Desmatamento no Vale do Itajaí mais que duplica em 2020

Dados do 2° Pelotão de Polícia Militar Ambiental de Blumenau indicam um aumento de 156% no desmatamento na comparação com 2019

Isabella Cremer

Dados do 2° Pelotão de Polícia Militar Ambiental de Blumenau indicam que entre janeiro e setembro de 2020 houve um aumento de 156% no desmatamento na região do Vale do Itajaí fiscalizada pelo órgão na comparação com o ano inteiro de 2019. De acordo com a Polícia Militar Ambiental, como a fiscalização fica também a cargo de secretarias municipais de meio ambiente, a área desmatada pode ser ainda maior. 

O aumento desse índice de vegetação nativa desmatada, que nos nove primeiros meses de 2020 corresponde a 19,38 hectares, representa praticamente o mesmo que a soma do que foi registrado nos dois anos anteriores. Em 2018 e em 2019 o índice apresentou redução progressiva. Segundo a Polícia Militar Ambiental, em 2018 o desmatamento no Vale chegou a 11,92 hectares, enquanto que a área desmatada em 2019 somou 7,55 hectares – sendo este último o menor número desde 2009, quando o levantamento começou a ser feito na região. 

Entre os fatores que explicam parte desse aumento em 2020, segundo a Polícia Militar Ambiental, está o fato de que atualmente existem mais opções de canais de denúncia para a população. Um exemplo é a possibilidade de denunciar desmatamentos pelo WhatsApp. Outro fator que contribuiu para um registro maior de supressão de mata é a ampla utilização da tecnologia à favor da fiscalização. 

Ainda segundo o 2º Pelotão de Polícia Militar Ambiental, a equipe do órgão está atuando em 2020 de forma intensa em relação às denúncias. Com a utilização de drones, o alcance das fiscalizações é bem maior do que em outros anos. Agora, no lugar de realizar as fiscalizações e investigar as denúncias apenas à pé, percorrendo diferentes distâncias no meio da mata, a Polícia Militar Ambiental utiliza recursos tecnológicos como os drones, o que impacta nos números mais recentes.

O 2º Pelotão de Polícia Militar Ambiental é responsável por atuar na região que compreende as cidades de Blumenau, Gaspar, Ilhota, Luiz Alves, Guabiruba, Botuverá, Indaial, Brusque, Pomerode, Timbó, Rio dos Cedros, Doutor Pedrinho, Benedito Novo, Ascurra, Apiúna e Rodeio.  

Dados de desmatamento em Santa Catarina 

Observando o panorama geral de Santa Catarina, o desmatamento entre os anos de 2018 e 2019 diminuiu em 22% segundo os dados do Atlas da Mata Atlântica. Responsável pela conservação de 2.186.316 hectares de floresta remanescente de Mata Atlântica do país, Santa Catarina é o segundo estado com maior área a ser protegida deste bioma. 

Para o alcance desses resultados o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) utiliza ferramentas digitais para auxílio do monitoramento e fiscalização, assim como firma parcerias com instituições como a Polícia Militar Ambiental e as Secretarias do Meio Ambiente dos municípios. Além disso, o IMA trabalha na conscientização de gestores, empreendedores e da população de todas as regiões do Estado em relação à preservação ambiental. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s