PANC: Plantas Alimentícias Não Convencionais – Uma opção para fontes de nutrientes

Mesmo que ainda desconhecidas, as plantas alimentícias não convencionais ganham cada vez mais espaço na alimentação dos brasileiros.

Elisiane Roden

É bem possível que você tenha no quintal da sua casa uma PANC, estima-se que existam mais de 30 mil espécies com potencial alimentício no mundo. E no Brasil, aproximadamente três mil plantas que culturalmente não são aceitas, mas, que possuem um alto teor nutritivo. As plantas alimentícias não convencionais conhecidas como PANC, são aquelas plantas que não comemos porque não sabemos que podem ser consumidas. Muitas das PANC faziam parte da alimentação no passado, e até hoje existem em grande quantidade, mas com o decorrer dos anos foram substituídas por alimentos com maior interesse comercial.

Achamos que é somente no mercado ou na feira que podemos encontrar plantas comestíveis, mas nem todas que estão disponíveis na natureza, estão nas gôndolas. Estudos revelam que as PANC possuem teores de minerais, fibras, antioxidantes e proteínas significativamente maiores quando comparadas às plantas convencionais.

Algumas plantas não convencionais, já são usadas para fins medicinais há muito tempo, porém o que quase ninguém sabe é que certas espécies têm um valor nutricional tão grande que são suficientes para suprir as necessidades diárias de uma pessoa adulta, chegam a ser tão nutricionalmente ricas quanto o arroz e feijão.

Há dois anos, o biólogo Nando Matheus Rocha trabalha promovendo o conhecimento sobre as plantas não convencionais. Durante a graduação o biólogo trabalhou com botânica e em um herbário. Através do conhecimento adquirido nessa área, ele conheceu muitas espécies e começou a compartilhar o conhecimento adquirido na universidade em palestras, oficinas e até demonstrando na prática o uso das PANC.

Nando, explica que não há contra indicação para as pancs, porém é importante saber identificar corretamente a espécie antes de provar a planta. “Outra restrição é quanto ao preparo, algumas plantas necessitam de um pré-cozimento antes de serem ingeridas”, explica.

As PANC podem aparecer de várias formas, desde como uma planta aparentemente normal ou até mesmo como raiz, cereal, castanha, tempero, flor e etc. Algumas das espécies mais encontradas na região são tão comuns que acabam passando despercebidas, alguns exemplos são: serralha, beldroega, camélia, hibisco, ora-pro-nobis. Isso tudo pode servir não só como nova fonte de nutrientes, mas também como uma forma de mudar sua rotina culinária, trazendo novos ingredientes para a mesa.

Para os interessados, no dia 05 de outubro, haverá um encontro entre o biólogo Nando Matheus Rocha e a pesquisadora alimentar Flora Refosco. Segundo os organizadores do evento, a programação foi planejada para tratar de áreas como a culinária, passeio para identificação das PANC além de troca de mudas e sementes. Serão aproximadamente 6 horas de experiências e aprendizado.

Data: 05/10/2019
Hora: 10h até 16h30
Local: Aruanda Gastronomia Vegana – Av. Nereu Ramos, 538 – Timbó
Mais informações: 47 996928270 ou 47 997205959

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s