Do interior de Santa Catarina, para o mundo: Conheça a história do jornalista João Venturi

Jornalista blumenauense já cobriu duas Copas do Mundo e uma Olimpíada

Júlia Beatriz

Nascido e crescido em Blumenau (SC), João Venturi sempre carregou consigo o amor pelo futebol. Desde criança acompanhava seu irmão mais velho, assistindo jogos e olimpíadas na televisão. Cada gol e conquista do Brasil era mais um motivo para ficar em frente à telinha pulando, gritando e comemorando. Essa paixão pelos esportes foi crescendo ao ponto que, nos seus 15 anos de idade, sua mãe já tinha certeza que ele, cedo ou tarde, se tornaria um jornalista. A cada dia crescia a vontade de contar histórias dos jogadores, do que está acontecendo e do que aconteceu. “Não fui eu que escolhi o jornalismo, mas sim o jornalismo que me escolheu”, conta João.

Isso não quer dizer que a vida desse jovem amante dos esportes tenha sido fácil. Quem o vê em transmissões internacionais ou na cobertura de grandes eventos, como Copa do Mundo e Olimpíadas, sequer imagina o quanto ele teve que ralar para chegar lá. A jornada no jornalismo esportivo não foi fácil. De segunda à sexta-feira, ele saía de Blumenau para atuar às tardes como voluntário na rádio da Universidade do Vale do Itajaí (Univali). No microfone da emissora, João apresentava o programa Sintonia Total e produzia reportagens para o Planeta Terra. À noite a rotina continuava no curso de Jornalismo da universidade, onde estudava. Depois de seis meses, surgiu a oportunidade de realmente estar no meio do futebol, como assessor de imprensa do Blumenau Esporte Clube (BEC). Para ele, era impressionante quando um repórter do Jornal de Santa Catarina, Diário Catarinense e demais veículos de comunicação ligavam pedindo informações a respeito dos jogos. Foi uma experiência que o marcou e o levou a estudar mais, conhecer mais sobre esportes e contar cada detalhe, cada história, mesmo que, na época, praticamente pagasse para trabalhar. Foram mais seis meses como voluntário, gastando com gasolina para ir até o clube e também com alimentação, mas sempre com a ajuda da família, que apoiava e sabia o quanto isso era importante para o futuro profissional.

Copa da Rússia de 2018. Foto: Divulgação João Venturi

Em julho de 2006, recebeu o diploma de jornalista. Em novembro, surgiu a chance de cobrir as férias de um jornalista na RBS TV de Joinville. Na época, atuava na TV Galega, em Blumenau, onde estava prestes a ser contratado. Resolveu arriscar e apostar que aquele mês em Joinville poderia levá-lo mais longe. A coragem de largar um contrato certo em Blumenau por um mês em Joinville, mudou seu rumo. Em fevereiro de 2007, recebeu um convite para ocupar a vaga como repórter e editor de esportes da RBS. Era o emprego que ele estava sonhando naquele momento. Fazia transmissões para o SporTV, Premiere, e para todo o estado de Santa Catarina.

A carreira seguia muito bem, mas chegou a hora de voar mais alto. Junto com sua família, decidiu que era hora de tomar um novo caminho. Em 2010, fez as malas e foi para o exterior estudar inglês, planejando trabalhar na Copa do Mundo de 2014. O que era para durar apenas um ano, se transformou em quase quatro, na Inglaterra. O tempo estudando inglês não foi fácil. No seu primeiro ano, para conseguir dinheiro para se manter em Londres, João trabalhou em restaurante, lavando louças, limpando banheiro e, durante a madrugada, trabalhava na construção civil. Mesmo estando sozinho e com as condições não tão boas, persistiu. No ano seguinte, após muitas tentativas, entregando currículo embaixo de chuva, mostrando interesse, conseguiu emprego na Record Internacional. Tornou-se chefe do Departamento de Jornalismo da emissora local, apresentando um jornal diário, diretamente do estúdio de Londres para toda a Record Europa e comunidade da língua portuguesa. Em 2012, após o fechamento do canal europeu da Record, conseguiu uma vaga em uma agência de notícias esportiva inglesa. Por lá, ficou um ano e meio, aprendeu muito mais sobre o futebol europeu e praticou inglês e espanhol, por viver com muitos latinos.

João Venturi na Copa do Mundo da Rússia, 2018. Foto: Divulgação João Venturi

Em dezembro de 2013 resolveu voltar para o Brasil e ver se todo o seu esforço tinha valido a pena. Decidido a trabalhar na Copa do Mundo do ano seguinte, bateu na porta da Fox Sports. Em abril de 2014, estreou na emissora. Cobriu os jogos da Copa do Mundo, nas cidades de Recife, Salvador e no Rio de Janeiro. Como primeira experiência, foi incrível. Mas, muitos sonhos realizados vieram pela frente: Copa da Rússia em 2018, cobertura dos clubes cariocas, Olimpíada e clássicos, como o duelo espanhol entre Barcelona e Real Madrid. São estes jogos que o fazem voltar a ser menino, no sofá de sua casa em Blumenau, comemorando cada lance, cada gol, na frente da televisão. Só que agora o garoto louco por futebol está dentro da telinha, inspirando outros jovens a se apaixonarem pelo esporte e pelo jornalismo.

Recentemente, João pediu seu desligamento da Fox Sports. Foram cinco anos realizando grandes sonhos, mas o desejo por novos desafios o chama. Como um atleta que busca um recorde, uma medalha, João corre atrás de outros sonhos, de novas histórias para contar.

João Venturi no clássico Barcelona x Real Madrid. Foto: Divulgação João Venturi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s