Coletivo blumenauense recria peças e gera alternativa de renda

Economia e ecologia se destacam em empreendimento social

Gregory Martins

O acesso ao mercado de trabalho não é tarefa fácil. De acordo com o último levantamento realizado pelo IBGE, 20% dos habitantes de Blumenau ganha até meio salário mínimo, o equivalente a R$477 por mês. Além da capacitação, limitações sociais e preconceito podem dificultar ainda mais esse caminho. Para mudar essa perspectiva e gerar renda para pessoas socialmente desvalorizadas, em 2017, empreendedores sociais criaram o Coletivo Transcendental, uma proposta colaborativa de diversidade, união e renda.

Foto: Lua Geiss/Divulgação

Com base na tradicional indústria têxtil da cidade, o Transcendental alia a economia e ecologia no seu DNA e dá vida ao conceito upcycling, que pode ser traduzido como um processo de reciclagem criativa. É recriando blusas, sapatos, vestidos e muitas outras peças que o coletivo coloca à prova a criatividade, fazendo uso de diversas técnicas de customização. Para manter a produção sempre inovadora e favorecer o conhecimento, aulas e workshops são realizados em parceria com voluntários, além da troca de informações entre todxs que fazem parte do coletivo. “Já passaram várias pessoas que vieram voluntariamente dar oficinas passando seus conhecimentos a nós, aprendemos e ensinamos também, essa troca é fantástica”, comenta o Coletivo Transcendental.

Ao todo, seis membros fazem parte diretamente do coletivo. “Surgiu da união de talentos de pessoas que são desvalorizadas socialmente, principalmente o público LGBT com foco nas pessoas trans, visto que são as mais negadas no mercado de trabalho formal ainda”, afirmam. O produto final é posto à venda na internet, levado para feirinhas regionais, além de estar disponível no brechó do coletivo, localizado no GreenPlace, no bairro Garcia. “É muito interessante para a cidade e todos no geral, pois além da reutilização das peças que ajuda o planeta, também é um retorno financeiro para o coletivo”, comenta a estudante Bruna Voigt, 21, em sua primeira visita ao brechó.

Foto: Gregory Martins

Outra forma de renda para o grupo são as encomendas feitas sob demanda e pensadas pelo coletivo para o cliente. Para o estudante Bruno Hedwig, 23, a iniciativa é positiva e ressalta a importância da cultura coletiva. “Quando sujeitos que estão marginalizados do mundo do trabalho se juntam em grupos para tentar se reinserir em um lugar que lhes é de direito, vemos uma forma de resistência não somente à uma sociedade excludente, mas também ao próprio modo de produção capitalista hegemônico”, analisa.

Em pouco mais de um ano de existência, o que é celebrado pelo coletivo como uma grande vitória, o empreendimento social já começou a colher os frutos do seu trabalho. “Prestamos um trabalho para o desfile de uma empresa grande aqui da região, a Círculo, onde fizemos todos os adereços”, destaca o Transcendental.

Para o futuro, o coletivo busca ampliar a visibilidade da marca autoral e se manter atualizado em técnicas de upcycling. “Desejamos que cresçamos ainda mais E sermos reconhecidxs nacionalmente. Começamos do zero e estamos crescendo”, anseia o coletivo.

Serviço
Brechó Transcendental
Greenplace Park
R. Prof. Gustavo Brandes.
Garcia, Blumenau – SC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s